ESCARLATE

ESCARLATE

Em noite de breu solitário
A sua falta consome a razão
Funde-se a alma ao silêncio
A saudade que abrasa ilusão

A insônia apavora em delírio
Embaraça e replica o coração
Um suspiro mergulha no vazio
Rompendo estática solidão

Sozinho. À espera da luz obscura
Veste-me de escarlate. Emoção.
Erupção flui a deriva. Ternura.

O escuro vira sol: fogo e paixão
Na penumbra cativo a candura
Reflete a ausência na escuridão.

Ma Socorro

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s